Sobre o “Girl Power”: Uma mensagem às mulheres

No meu Instagram, gosto de postar fotos temáticas em datas comemorativas. No último dia Internacional da mulher, queria escrever uma mensagem diferente do que costumamos ouvir por aí sobre o que é ser mulher (principalmente uma mulher cristã), mas que trouxesse esperanças em meio a tantos discursos e paradigmas que nos confrontam em nosso contexto social. Depois de muito pesquisar e não ter nenhuma ideia boa, me deparei com a seguinte imagem no blog Voltemos ao Evangelho:

Um ótimo exemplo que às vezes nos esquecemos. Ester era órfã, estrangeira e prisioneira de guerra. Numa reviravolta, torna-se rainha, e impede o genocídio de seu povo (farei somente esse breve resumo da história; se você ainda não leu o livro de Ester, faça isso; é rápido e envolvente!). Que lição essa história traz para nós, mulheres? Eu não preciso de condições favoráveis para ser “Girl Power”(polêmica!!!).

Veja bem: não sou contra uma boa parcela de reivindicações feitas a favor das mulheres. Nós merecemos SIM igualdade de direitos, equiparação profissional, reconhecimento e respeito, pois nossos princípios e leis prevêem isso. Mas… E se não virmos essas mudanças? E se elas acontecerem daqui há décadas, séculos? E se não acontecerem?

O que quero dizer é: mesmo que vivamos numa cultura que nos diminua, violente ou despreze, posso fazer a diferença ao compreender a soberania de Deus, o que Ele quer e pensa de mim. E isso vale muito mais do que qualquer mudança institucional, política ou social. Ao me apoiar em sua constância e firmeza (Tiago 1:17, Malaquias 3:61), sei que meu valor será sempre o mesmo, independentemente de época, ideologia, cultura, governo, ou do que as pessoas exijam que eu seja ou faça. Você, como mulher, é um ser digno e de igual valor, comprada a preço de sangue, e transformada em coerdeira do Reino de Deus (Romanos 8:17), apesar de suas falhas e pecados. E, caso não vejamos em nossa geração, era ou época, as mudanças que gostaríamos (assim como muitas mulheres do passado não viram, mas lutaram por isso), devemos ter a certeza de que tudo mudará e será perfeito quando voltarmos pra casa (Filipenses 3:20); e isso é tudo que importa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *